Pacto Belém Pela Vida já atingiu mais de 13 mil pessoas desde 2018

    O Dia Mundial de Combate às Drogas, que transcorre nesta sexta-feira, 26, marca o esforço da Organização das Nações Unidas (ONU) no enfrentamento de um mal social que atinge o mundo inteiro. Em Belém, desde 2013 a Prefeitura criou o programa Pacto Belém Pela Vida, que promove e acompanha políticas públicas voltadas ao combate, à prevenção, ao tratamento e à orientação do uso de álcool e outras drogas. O programa é executado de forma integrada pela Prefeitura de Belém.


    Desde 2018 o Pacto Belém Pela Vida aumentou os investimentos na formação dos profissionais da área pública e privada. Em dois anos, o programa impactou diretamente entre formação, atendimento, orientação e encaminhamento mais 13.600 pessoas, e atingiu 60 mil pessoas de maneira indireta.


    Segundo dados do Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas, usam drogas ilícitas. Foi pensando nisso que o há sete anos o programa foi criado na gestão do prefeito Zenaldo Coutinho, realizando encaminhamento e acompanhamento de ações de combate e prevenção do uso de drogas, com parcerias com diversas instituições, com realização de palestras, seminários, rodas de conversa, atendimentos em grupo e outras atividades.


    “Esse é um programa que articula e integra todas as políticas públicas de álcool e drogas em Belém, juntando município, estado, governo federal, sociedade civil, instituições de saúde e educação públicas e privadas, com o objetivo de melhor trabalhar as políticas e fazer chegar de forma mais eficiente até as pessoas”, explicou o coordenador geral do programa e presidente do Conselho Municipal de Entorpecentes, Nelcy Colares.


    “Ao todo, 26 atores sociais, dentre eles o Tribunal de Justiça do Estado, o Ministério Público do Estado, as Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, a Polícia Militar e outros órgãos, incluindo entidades da sociedade civil, como igrejas, organizações não governamentais voltadas para a prevenção do uso de álcool e drogas, os Conselhos Estadual e Municipal de Política de Álcool e Drogas, todo esse leque de entidades fez parte da construção do programa”, completou Nelcy.


    O coordenador disse que o programa funciona de maneira inédita no município. “Desde 2014 eu e outros profissionais que fazem parte do Pacto viajamos para outros estados, que têm alguns modelos parecidos de trabalho para buscar nos aprofundarmos ainda mais e fazer um bom trabalho aqui na cidade. O Pacto Belém Pela Vida foi construído em oito meses, de maneira inédita com as formas de atuação na sociedade”.


    Durante a pandemia, o programa mantém as atividades administrativas, os atendimentos e orientações on-line, realizando ainda encaminhamentos para os órgãos que não paralisaram os serviços por conta da covid-19. Além disso, por meio da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), foram distribuídas dezenas de cestas básicas para comunidades terapêuticas que atendem pessoas em maior vulnerabilidade social.


    “O Pacto Belém Pela Vida preencheu um vazio na sociedade, que tem diversas iniciativas de combate ao álcool e drogas, mas que não chegavam até as pessoas, porque muitas pessoas nem sabiam que existiam. Então, com a criação do Pacto, as pessoas e instituições têm um lugar onde elas podem buscar informações sobre os serviços, fazer demandas e até propor melhorias. Nós trabalhamos mais de perto pelas pessoas, que são as pessoas de maior vulnerabilidade. Nós trabalhamos a prevenção, mas o nosso usuário final é a família, é a pessoa que necessita de tratamento por conta de álcool e drogas”, completou Nelcy Colares.


    Serviço – Pessoas ou instituições que quiserem buscar os serviços do Pacto Belém Pela Vida podem entrar em contato pelos telefones (91) 3184-6131 e 98434-7199 ou pelo email pactobpv@gmail.com.

    COMPARTILHAR