Lixo descartado de forma criminosa provoca alagamentos e causa danos à cidade

    A quantidade de lixo retirada diariamente de dentro dos canais da capital paraense retrata a falta de conscientização ambiental de uma parcela da população que, mesmo sem se dar conta, vem contribuindo para a obstrução de canais e bueiros da cidade. Do simples copo descartável ao sofá quebrado, todo o material descartado criminosamente em via pública é arrastado para dentro dos canais, bloqueando a tubulação e obstruindo por completo o escoamento da água.

    A situação é preocupante, já que a consequência dessa falta de conscientização resulta em pontos de alagamentos, principalmente nesta época do ano, quando o volume de chuvas vem ultrapassando o esperado para o período. “A manutenção preventiva nas galerias, bueiros e canais é fundamental. Precisamos conscientizar os moradores que ainda descartam os seus resíduos de toda espécie em qualquer dia e horário, sem ter a noção que estão prejudicando toda a cidade”, destacou Elen Azevedo, de 52 anos, moradora do bairro do Telégrafo.           

    A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), desenvolve ações de limpeza em todos os canais da cidade, além de serviço manual nas áreas baixas e de difícil acesso com o intuito de amenizar os transtornos causados pelas fortes chuvas.  “Garantir o saneamento de Belém é tarefa da gestão municipal, mas manter a cidade limpa é papel de todos. Cada um de nós, cidadãos de Belém, pode e deve fazer a sua parte na manutenção da limpeza”, declarou o secretário de saneamento, Claudio Mercês. “Respeitar o dia da coleta e não descartar lixo em via pública é o que sempre pedimos aos moradores, pois aquele pequeno saco plástico que foi jogado na margem do canal pode trazer um transtorno imenso para a cidade”, orientou.

    Manutenção – A Prefeitura mantém um cronograma de ações de limpeza e manutenção nas áreas de influência de canais para atender as demandas referentes aos serviços de limpeza manual e manutenção dos sistemas de drenagem. Morador da Pedreira, o autônomo Joel dos Santos, de 48 anos, não esconde a tristeza ao se deparar com o grande volume de lixo retirado dos canais. “É uma luta injusta, pois a Prefeitura faz a limpeza, no entanto a população não vem fazendo a parte dela. Isso é muito triste, pois quem perde é a cidade”, lamentou.

    Ocupações desordenadas – Outro sério agravante são as construções irregulares dentro dos cursos de água, o que impossibilita a área de receber limpeza e garantir o escoamento. Durante décadas, parte da população passou a ocupar a faixa de domínio dos canais, construindo residências, impossibilitando o local de receber limpeza. “Já não bastasse a grande quantidade de lixo que é retirada diariamente dos canais da cidade, ainda tem a questão das moradias que ocupam irregularmente os canais, o que impede a limpeza”, lamentou o diretor do Departamento de Resíduos Sólidos (Dres) da Sesan, Marcus Carvalho.

    Ações – Por dia são retiradas em torno de 500 toneladas de entulho de canais e vias da cidade. Os materiais mais encontrados são pneus, móveis e lixo domiciliar, que obstruem a passagem da água. Para a dragagem dos canais, a Sesan utiliza dois tipos de equipamentos: dragline e escadeira hidráulica. São equipamentos de grande porte, que possibilitam a retirada dos sedimentos do fundo do canal, melhorando o escoamento da água e aumentando a capacidade de armazenamento destes canais. O trabalho visa impedir que as águas da maré alta avancem pelos canais.

    Agravantes – Belém enfrenta grandes desafios com relação ao controle das águas que, em decorrência das marés e de chuvas intensas, alagam áreas baixas da cidade. Além disso, a capital paraense possui aproximadamente 40% da superfície abaixo do nível do mar e mais de 150 quilômetros de canais que fazem a captação e o escoamento de todo esse volume de água. Os bairros do Marco, Curió-Utinga, Terra Firme, Canudos, Cremação e Jurunas, que são cercados por canais e com ocupações desordenadas, são os mais prejudicados com os alagamentos, por isso recebem limpeza manual regularmente.

    COMPARTILHAR