Jornalistas Mais Premiados da História: Lúcio Flávio Pinto lidera no Norte e Celso Freire reassume a terceira colocação

    Lúcio Flávio Pinto

    O ano de 2019 marcou o anúncio da aposentadoria de Lúcio Flávio Pinto, criador e diretor do Jornal Pessoal e uma das vozes (e textos) mais combativos na luta contra os ataques à Amazônia Brasileira.

    Vítima de Mal de Parkinson, comunicou sua decisão ao mercado em julho do ano passado. E o fez, sem sombra de dúvida, com um saldo mais que positivo em sua carreira, tanto pelas diversas reportagens premiadas, quanto por manter-se na liderança entre os +Premiados Jornalistas da História na Região Norte.

    Lúcio Flávio Pinto

    Com 365 pontos, o jornalista, vencedor, entre outros, de dois Prêmio Esso, um Vladimir Herzog e um CPJ, manteve a posição obtida desde a primeira edição deste ranking, em 2011.

    Na vice-liderança, com 245 pontos, aparece Ronaldo Brasiliense, que por muitos anos foi diretor-geral do jornal O Paraense. Já o terceiro lugar teve novidades em relação ao ano passado. Primeiro colocado entre os +Premiados Jornalistas do Ano na Região Norte, Celso Freire, da rádio Liberal, reassumiu a terceira posição, com 205 pontos. 


    Celso Freire lidera quando o quesito é destacado em trabalho em uma emissora de rádio

    Logo atrás, aparecem Orlando Pedrosa Lima Júnior, na quarta posição, com 177,5 pontos, e, empatados em quinto lugar, com 150 pontos, estão Manoel Dutra e Ulisses Campbell. Em sétimo lugar ficou Ismael Soares Machado, com 130 pontos, seguido por Luiz Maklouf Carvalho (125), Mario Adolfo Aryce de Castro (120) e Alberto Cesar de Souza Araújo e Sergio Ricardo Oliveira, dividindo a décima posição, com 110 pontos.

    COMPARTILHAR