Programa Nota Fiscal Cidadã será substituído e Governo vai ampliar ações de cidadania fiscal

    A Secretaria de Estado da Fazenda, Sefa, informa que o Programa Nota Fiscal Cidadã será substituído por novas ações de estímulo a cidadania fiscal. Entre elas está o uso do aplicativo “Menor preço”, que pesquisa os valores das mercadorias a partir das notas fiscais eletrônicas emitidas nas compras de varejo, que deve entrar em funcionamento ainda em janeiro, permitindo criar uma “rede de economia” para a população paraense.

    O momento econômico levou a necessidade rever as ações que impactam no equilíbrio do orçamento. De acordo com o secretário da Fazenda, René Sousa, o Programa Nota Fiscal Cidadã estava muito concentrado na região metropolitana de Belém, onde moram 80% dos inscritos, e que é necessário buscar alternativas que envolvam mais a população do interior do Estado.

    Este ano serão implantadas mudanças que visam estimular o Programa de Educação Fiscal e buscar alternativas para dar maior abrangência as ações, de forma a permitir que o maior número de cidadãos possa participar.

    A Secretaria da Fazenda ressalta que a exigência da nota fiscal é um direito do consumidor e deve ser garantido, pois comprova a propriedade do bem adquirido, e é o documento exigido em caso de trocas ou consertos. Por isso, é importante que os consumidores paraenses continuem exercendo sua cidadania fiscal, exigindo o documento fiscal a cada compra.

    COMPARTILHAR