Conferência Ethos 360º em Belém debaterá políticas públicas e experiências para valorização econômica da floresta em pé

    A terceira edição da Conferência Ethos 360º em Belém acontece em um clima de muita discussão sobre a recuperação da economia, a importância das ações de preservação do meio ambiente e a integridade pública e privada.

    O setor produtivo, os povos da Amazônia e especialmente do Pará, terão a oportunidade de participar de debates que irão abordar temas relevantes, como: crimes de grilagem de terras, ocupações ilegais, licenças obtidas de forma fraudulenta e violência contra as comunidades e povos indígenas, entre outros.

    A Conferência Ethos em Belém acontece no dia 28 de novembro, no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia. Para mais informações acesse: www.conferenciaethos.org/belem. Faça já sua inscrição.

    Destaques da Programação

         
    9h30 – 11h

    Liderança empresarial e cultura de integridade nas empresas da Amazônia

    Novo Fundo Amazônia: o que o governo quer emplacar na COP25?

    Políticas Públicas e experiências para valorização econômica da floresta em pé

    11h – 12h30

    Transparência, integridade e a repartição de benefícios com comunidades tradicionais e extrativistas

    Bioeconomia: como as novas tecnologias e o ecossistema da renovação das empresas pela biodiversidade irão driblar os desafios do desenvolvimento na região

    Serviços ambientais prestados pela floresta e a economia do país

    14h – 15h30

    Sistemas de pequenos negócios conectados com a biodiversidade e com a realidade local

    Urbanização na Amazônia: microcosmos de aceleração, carência sanitária, desequilíbrios e conflitos sociais

    17h – 18h30

    Crime organizado na Amazônia: corrupção, grilagem, violência e desmatamento

    Sobre a Conferência Ethos

    Desde 2017, a Conferência Ethos 360º é realizada em Belém e mesmo agora, que a iniciativa já abrange quatro capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Belém e Recife –  o Instituto Ethos, realizador do evento, reitera a realização dos diálogos em Belém, onde a sociedade civil, empresas e governos poderão encontrar soluções para um modelo próprio de desenvolvimento da região amazônica.

    COMPARTILHAR