Sespa garante apoio para controlar surto de sarampo em Prainha

    A Secretaria de Estado de Estado de Saúde Pública (Sespa) está garantindo todo o suporte necessário ao município de Prainha, no oeste do Pará, para controlar o surto de sarampo que afeta a cidade, onde já foram confirmados 14 casos da doença neste ano, contra apenas um em 2018. De acordo com a diretora do Departamento de Epidemiologia da Sespa, Ana Lúcia Ferreira, foram destinados R$ 120 mil para o 9º Centro Regional de Saúde (CRS) utilizar em recursos humanos, veículos, combustíveis e aquisição de insumos, a fim de intensificar a vacinação e a busca ativa de casos na área afetada do município, durante 30 dias.

    Em 2018, o Pará notificou 267 casos suspeitos de sarampo, dos quais 67 foram confirmados, incluindo dois óbitos de refugiados venezuelanos que estavam em Belém. Em 2019, há a notificação de 34 casos, dos quais 18 foram confirmados. No total, são 301 notificados, dos quais 87 confirmados, 185 descartados e 29 que permanecem sob investigação.

    Até o momento, na mesma região, o município de Santarém, apresentou o maior número de notificações – 116 casos – e o maior número de confirmados, 39. Em seguida aparecem os municípios de Prainha, com 26 notificados e 15 confirmados; Belém, com 22 notificados e nove confirmados, e Monte Alegre, com 15 notificados e também nove confirmações.

    Para controlar o surto no oeste do Pará – que tem a maior incidência da doença devido à proximidade com o Estado do Amazonas, que apresenta o maior número de casos no Brasil -, o Ministério da Saúde e a Sespa implantaram na região, na semana passada, o Plano de Eliminação do Vírus do Sarampo no Brasil.

    A finalidade é fortalecer os sistemas de Vigilância e Atenção à Saúde, para interromper a circulação do vírus do sarampo, garantindo que o Brasil permaneça com o Certificado de Eliminação da Circulação do Vírus do Sarampo, recebido em 2016 da Organização Mundial de Saúde (OMS).

    COMPARTILHAR