Eu amo ser mãe!

Eu nunca me canso de repetir isso de novo e de novo: eu amo ser mãe! A partir do momento em que meus olhos, através das lágrimas, apreciaram o positivo, eu sabia que meus dias mudariam de rumo. A vida preparou para mim o presente mais lindo que alguém poderia me dar.

E assim os dias passaram. De repente, minha barriga começou a se expandir. Meu próprio couro havia se tornado nada mais que um berço. Lá eu comecei a experimentar uma das sensações mais extraordinárias: senti a vida se agitando dentro de mim.

Aqueles primeiros chutes não eram nada. As fichas caíram todas juntas de maneira oportuna em uma consulta. Eu ouvi o bater do coração dele pela primeira vez. Eu entendi que um pequeno ser era parte de mim, e ele me conhecia como ninguém mais.

Aquele ser que ousou redefinir a palavra felicidade do meu dicionário veio me ensinar a viver. Ele explicou o que é o amor verdadeiro. Ele me dotou de uma força e coragem incomparáveis. Ele encheu meus dias com sua frescura e inocência. E, fundamentalmente, ele incutiu em mim o dom do sacrifício.

Razões pelas quais eu amo ser mãe

Existem várias razões pelas quais eu sinto isso. Sim, eu não nego e tenho orgulho: amo ser mãe! Não há como explicar o essencial da existência da minha filha para mim. Pois em cada estágio de seu desenvolvimento eu redescobri minha capacidade de admiração, minha ternura e sensibilidade anestesiada.

Assim que chegou, senti meu coração explodir de emoção e amor. As noites eram difíceis, é impossível negar isso. Eu também adorava acordar todas as manhãs apenas para ter certeza de que meu bebê está bem. Veja sua posição, sinta sua respiração e deixe escapar alguma mímica agachada.

Então chegou a hora de testar minha coragem diante da dor. Aprenda a lidar com os gritos, enquanto traz o meu lado artístico. É hora de ir às babás e à teatralidade. Mais tarde chegaria a hora de lutar entre purês e papas de frutas e vegetais.

Eu amo ser mãe! Aquela mesma mãe que começou a fazer atletismo depois do filho. Primeiro a aventura começou com o rastreamento, depois com seus primeiros passos. Aquela mulher que sabia sacrificar um corpo de sonho por um que leva, como troféus de guerra, as marcas da maternidade.

Grite para os quatro ventos: Eu amo ser mãe!

Grite para os quatro ventos, não esconda esta verdade maravilhosa de ninguém: Eu amo ser mãe! Eu sou uma mulher que começou a tropeçar com brinquedos. Fazer malabarismos com tarefas domésticas, responsabilidades de trabalho e as necessidades do meu tesouro mais precioso.

O melhor de tudo é que, por causa da maternidade, aprendi muitas coisas. Um deles era apreciar os detalhes mais simples, mas recompensadores. A suavidade de uma pele, a sinceridade de alguns olhos, a incontinência de seu pequeno ser.

Tudo isso, em suma, me levou a entender o quão forte é o verbo amar. Eu entendi que depois da minha gravidez eu fui a um encontro às cegas onde conheci que se tornou o amor da minha vida. Eu descobri um amor puro, real e profundo. Incondicional e infinito: simplesmente incomparável.

Não pude deixar de sentir admiração por um único momento. Vendo-o jogar e levar esse jogo tão a sério, me apaixonei por sua inesgotável imaginação. Vendo sua curiosidade e essa insaciável sede de aprender sobre o mundo que o rodeia, só experimentei devoção.

Por tudo isso e por muito mais, não posso fazer nada além de sentir um orgulho que não se encaixa em minha alma. De fato, tenho orgulho de ter me tornado mãe. Uma mãe que mata e morre por essa pequena parte do meu ser.

Eu amo ser mãe! E isso nada vai mudar isso. Eu amo meu filho, com virtudes e defeitos. É o sol que coloriu meus dias a partir do momento em que descobri sua existência. A música das minhas manhãs, a verdade do meu mundo. Meu filho é aquela estrela que, em tão tenra idade, ilumina meus passos.


Via Eresmama

O post Eu amo ser mãe! apareceu primeiro em Pensador Anônimo.

COMPARTILHAR