Arcon garante segurança e qualidade de serviços em terminais

    A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) iniciou, nesta sexta (1º), a fiscalização de carnaval nos terminais hidroviários e rodoviários do Pará. O trabalho vai até a próxima quinta (7) e tem o objetivo de garantir os direitos e deveres dos passageiros, assim como a segurança e a qualidade dos serviços oferecidos para quem vai viajar neste feriado.

    “A Arcon está presente com fiscais em pontos estratégicos, para zelar pela qualidade dos serviços prestados pelo transporte público intermunicipal aos usuários paraenses. Queremos garantir o bem-estar do usuário e evitar o uso do transporte clandestino, para que a viagem ocorra com segurança neste período de grande circulação pelos rios e estradas paraenses”, afirmou Eurípedes Reis, diretor-geral da Arcon.

    As equipes de fiscalização estão divididas em dois grupos: um nos terminais rodoviários de Abaetetuba, Belém, Barcarena, Bragança, Castanhal, Capanema, Cametá, Curuçá, Marituba, Marapanim, Salvaterra, Santa Maria, Santa Maria das Barreiras, Soure, Tucuruí e distritos de Marudá e Mosqueiro; e outro nos terminais hidroviários de Belém, Portos do Arapari, Jarumã, Açaí Biruta e Terminal da Henvil – Icoaraci; nos municípios de São Domingos e Marudá, Colares, Igarapé-Miri, Cametá, Soure, Salvaterra, Ponta de Pedras e Vitória do Xingu.

    Os agentes da Arcon explicam em que consiste o trabalho. “Verificamos questões como as condições básicas das embarcações, lotação, se os horários estão sendo cumpridos, questões de higiene, se estão cumpridos as gratuidades e os fatores de segurança, como coletes salva-vidas”, explicou o agente José Rocha, responsável pela vistoria no terminal hidroviário.

    No terminal rodoviário, além da parte de higienização dos transportes, é verificada “a qualidade do serviço, tanto formais como informais, se os valores das passagens não são abusivos, se cumprem os horários de chegada e saída e, principalmente, a segurança do veículo, checando pneus, faróis, para-brisas, cintos de segurança, entre outros itens”, relatou o fiscal Oliveira.

    O que não faltam são opções para quem vai curtir o carnaval nos municípios paraenses. O universitário Lucas Moraes, por exemplo, escolheu Abaetetuba como destino. O jovem sabe a importância de um transporte de qualidade para quem vai viajar. “Estou indo hoje para Abaetetuba e só volto na quarta, para aproveitar o carnaval. A gente fica feliz em ver essa fiscalização. Não sabemos as condições dos transportes oferecidos, eles precisam garantir a nossa segurança, principalmente na parte de manutenção. A gente paga pelo serviço, não pode andar em qualquer carro”.

    Para quem utiliza os terminais hidroviários, as cidades do Marajó são sempre lugares muito procurados, e a qualidade das embarcações vem sendo elogiada pelos usuários. “Sempre que posso vou pra Salvaterra, tanto pelo lazer do carnaval quanto pela tranquilidade na casa dos meus familiares. Não tenho do que reclamar, lanchas estão em excelente estado, sempre bem limpas”, comentou a técnica agropecuária, Camila Rodrigues.

    A segurança das embarcações também é motivo de atenção para os passageiros, como explicou o casal Eugênia e João Santos, que foi para Ponta de Pedras nesta sexta. “Vamos duas vezes por ano visitar a família no Marajó. A gente sempre procura olhar a questão dos coletes salva-vidas e da segurança dos barcos. Mas nunca deixou a desejar”, disse a esposa.

    Aumento do Fluxo – A expectativa é que ocorra um aumento no fluxo de passageiros saindo da capital no carnaval de 2019, tanto na malha fluvial quanto na rodoviária. De acordo com a Sinart – responsável pela administração dos terminais, o Terminal Rodoviário de Belém embarcará, aproximadamente, 36 mil pessoas durante o feriado. Um acréscimo de 5% em relação ao número real do ano anterior. Já no terminal hidroviário, são esperadas 10 mil pessoas saindo da capital rumo aos municípios, segundo a Arcon.

    Os destinos mais procurados do estado são Mosqueiro, Vigia, Cametá, Bragança, Marudá, Curuçá e as cidades do Marajó, como Soure, Salvaterra e Ponta de Pedras.

    COMPARTILHAR