Centro de reabilitação faz mutirão para atendimento de pessoas com deficiência visual

    Nesta quinta-feira (21), a partir das 14h, o Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), em Belém, promoverá o I Mutirão para pessoas com deficiência visual. A ação prossegue até a sexta-feira (22), a partir das 8h. A meta é atender 180 pessoas com algum tipo de deficiência visual que, dependendo da avaliação da equipe multiprofissional, passarão a ter assistência especializada pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

    Para participar, os interessados devem apresentar cartão SUS, RG, CPF e comprovante de residência. Entre os diversos problemas visuais, destacamos a baixa visão, que pode ser caracterizada por aqueles pacientes que, mesmo com os óculos, ou após já terem passado por procedimento cirúrgico oftalmológico, ainda possuem dificuldades visuais que podem interferir até no desenvolvimento das atividades cotidianas.

    Cerca de 24% da população brasileira, o equivalente a mais de 45 milhões de pessoas, possui algum tipo de deficiência. Entre elas, a mais comum é a visual, que atinge 3,5% da população, ou seja, 6,5 milhões de pessoas. Na região Norte, há registros de quase 575 mil pessoas com esse tipo de deficiência, o que corresponde a 3,6% dos habitantes, de acordo com o Censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as principais causas de cegueira no Brasil são a catarata, glaucoma, retinopatia diabética, cegueira infantil e degeneração macular.

    As estatísticas são alarmantes, o que reforça a necessidade de visitar periodicamente o oftalmologista. O censo de 2010 informa ainda que 528.624 pessoas no país são incapazes de enxergar (cegos); 6.056.654 pessoas possuem baixa visão ou visão subnormal (grande e permanente dificuldade de enxergar); cerca de 29 milhões de declararam possuir alguma dificuldade permanente para enxergar, ainda que usando óculos ou lentes.

    Atendimento – Além do mutirão que será promovido pelo CIIR, os usuários podem ter acesso aos serviços do Centro por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, acolhido pela Central de Regulação de cada município, que por sua vez encaminhará à regulação Estadual.

    COMPARTILHAR