Pará registra aumento de 455 mil pessoas com acesso à internet em 2017

    O Pará terminou o ano de 2017 com 57,3% de sua população tendo acesso à internet, um aumento de cerca de 455 mil comparado a 2016. As mulheres tiveram a maior taxa de acesso por sexo com 60,6% delas tendo acesso ao final de 2017. Os homens, apesar do aumento de cerca de 5% comparado a 2016, estavam abaixo do público feminino com 53,8%. A pesquisa leva em conta o último trimestre de cada ano e a população maior de 10 anos de idade.

    Quem mais acessava a internet no estado no final de 2017 tem entre 30 a 39 anos

    As pessoas de 30 a 39 anos registraram o maior acesso à internet com 22,4% do total de internautas paraenses, sendo seguida pelas pessoas entre 14 a 19 (17,3%) e 40 a 49 anos (15,3%). Enquanto o menor percentual de acesso foi visto entre as pessoas de 60 anos ou mais que em 2017 eram 4,0%. Foi visto também, uma tendência de diminuição das taxas de acesso após os 39 anos.

    Mais da metade dos estudantes utilizava a internet no final de 2017

    1,19 milhões estudantes utilizaram a internet no último ano, o que representou 66,2% de todos os estudantes no estado, enquanto 54,2% dos que não estudam tinham acesso a rede.  Sobre o nível de escolaridade dos usuários, nota-se uma taxa maior de acesso dentre os grupos com maior grau de instrução. Médio completo (82,6%), superior incompleto (97,3%) e superior completo (94%) possuem as três maiores taxas reveladas pela pesquisa. Um dos possíveis motivos seria a necessidade maior deste público a informações atualizadas por meio da rede. A menor taxa foi registrada pelo grupo sem instrução e fundamental incompleto que possuía 33,5%.

    97,6% dos internautas paraenses utilizava  celular no final de 2017

    97,6% dos paraenses que acessam a internet no final de 2017 usava telefone celular e mais da metade (60,7%) utilizava apenas este meio para acessar a rede. Os dados também revelam um crescimento de 506 mil usuários destes aparelhos em relação a 2016. As possíveis causas para esse processo são a popularização da comunicação através dos dispositivos móveis e o crescimento da produção audiovisual voltada para a rede. A pesquisa leva em conta o último trimestre de cada ano e a população maior de 10 anos de idade.

    O acesso através dos microcomputadores registrou queda em 2017 com  35,6%, ou seja, menos 79 mil usuários comparados ao final de 2016.  Alguns possíveis fatores foram a popularização dos smartphones e os novos recursos desenvolvidos nesse segmento, que aproximam um telefone móvel cada vez mais a um microcomputador.  Em contrapartida, os usuários de tablet aumentaram para 8,7% em 2017, totalizando 47 mil novos internautas. 

    O acesso à rede pelas televisões mais que dobrou (7,9%) com acréscimo de 167 mil usuários comparado ao mesmo período em 2016. É possível que o aumento tenha sido impulsionado pela popularização de televisores que possuem o recurso de acesso a rede como as Smarts TV’s ou televisões inteligentes.

    COMPARTILHAR