O Porto da Foz do Rio Camará, em Salvaterra, na Ilha do Marajó, ganhará um ponto de policiamento fixo. A decisão foi anunciada nesta terça-feira (5), durante reunião entre o comandante geral da Polícia Militar, Cel. Dilson Júnior, e o diretor de normatização e fiscalização da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon), Ivan Bernaldo da Silva.
O encontro ocorreu para tratar sobre o controle da entrada de cargas, veículos e pessoas pelo principal porto da região. A expectativa é de que a estrutura física esteja pronta até o mês de junho e o ponto seja efetivamente instalado com efetivo militar próprio.
A medida está inclusa em um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado junto ao Ministério Público do Estado do Pará (MP-PA) no mês de janeiro deste ano, relacionado às melhorias da estrutura física do porto.
De acordo com o representante da Arcon, a falta de estrutura fixa para garantir a presença da Polícia Militar dificulta a apreensão de veículos roubados, armas e drogas que entram pelo porto, consequentemente contribuindo para o aumento da violência no local. “Ainda temos problemas com fugitivos que buscam o Marajó para se esconder da Justiça e quando aqui chegam começam também a cometer crimes”, justificou Ivan.
O diretor voltou a reforçar que tanto por parte do CGPM quanto por parte do próprio governador do Estado, Helder Barbalho, o Marajó tem recebido atenção especial no que diz respeito à Segurança Pública. “Ele [o governador] foi pessoalmente ver as condições do porto e nos determinou imediatamente que fosse feito o necessário para a melhoria dos serviços oferecidos”, reconheceu.