Abrindo Passagem

Por: revistaamazonia.com.br

Texto: Adriana Pinheiro/Marina Messias

Pedra Redonda Monte Verde/MG

Caminhando pelos arredores, o Brasil é um dos países com maior diversidade biológica do mundo. Isso se deve, principalmente, a nossa localização equatorial, geografia e condições climatológicas. Essa diversidade, também conhecida como biodiversidade, ocorre em todo território brasileiro, nos mais diferentes biomas.

Vivemos num país, onde percorrer alguns quilômetros nos pode trazer soluções. Caminhar por um, dois ou até cinco dias num grupo de pessoas conhecidas, ou também desconhecidas, aprendendo a viver melhor e, acima de tudo, a ser uma pessoa melhor, é uma oportunidade valiosa. E esta talvez seja a razão principal pela qual cada vez mais pessoas acreditam na necessidade de se fazer uma pausa, parar de verdade, desligar, desconectar, respirar, sentir o peso da alma diminuir.

Pico Itacolomi – Ouro Preto/Mariana

As caminhadas são uma forma de manter o condicionamento físico, a qualidade de vida, “desligar” do virtual, conectar com o real, aumentar o vínculo de amizades, uma forma de interagir com os lugares por onde se caminha. É um fato indesmentível que a era digital nos trouxe uma maior capacidade de comunicação e de absorção de informação, mas, não nos podemos esquecer da essência da natureza e do quão importante ela é para o nosso bem estar quando a contemplamos.

Com esta proposta surgiu o grupo “Caminhada Mineira”, criado em 09 de março de 2006,

São Bartolomeu – Ouro Preto

por Marcelo Pereira e Marcelo Máximo, sem fins lucrativos. Ele surgiu da necessidade dos amigos, que já caminhavam juntos há algum tempo, em difundir as trilhas encontradas. Caminhar, curtir a natureza de forma consciente, responsável, ecológica, num ambiente de trilhas propício à socialização. Os membros do grupo doam seu tempo e expertise para organizar e realizar as caminhadas que promovem momentos de prazer, com valores acessíveis.

“Caminhada Mineira” se transformou em um dos principais grupos de Ecoturismo de Minas Gerais, com caminhadas regulares durante todos os meses do ano.  O roteiro das caminhadas é variável (em leve, média e difícil), o que é menos importante nessa história toda. O que importa mesmo é recuperar as pausas nas vidas lotadas de compromissos e de estresse, fechar para balanço, dizer um “vou ali” e já “volto”, abrir um parêntese que dure uma semana ou um dia.

Aquele refúgio, aquele momento, sua garantia de equilíbrio seja nas trilhas, cachoeiras, serras ou sua montanha em qualquer lugar do planeta. O que vale é o tempo de introspecção, de silêncio e até mesmo de interação com o ser humano. Saímos melhores e mais inteiros desses mergulhos interiores. Já dizia Aristóteles que “a Natureza não faz nada em vão”.

Serra da Capivara – Piauí

Um dos objetivos do grupo é difundir as trilhas encontradas, baratear e viabilizar os custos de caminhadas ecológicas, aumentando, assim, o número de participantes, com a intenção de transformar o Ecoturismo, que anteriormente era um esporte elitizado, em uma opção barata de lazer. A nova visão de mundo está aos poucos se estruturando com uma proposta de estilo de vida, caracterizada pela recusa ao materialismo e consumismo exorbitantes e por um progressivo deslocamento do Ter para o Ser.

No grupo, há uma diversidade de públicos, que contam com crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos, enfim, pessoas de diversas áreas com um único propósito: caminhar e curtir a natureza. São horas entre a saída pelos lugares, a caminhada ora por trilhas, ora por mata fechada, ora por “cristas” da serra, ora nos vales, muitas vezes interligando vilarejos por caminhos históricos. Há uma prática segura e econômica da atividade do Ecoturismo, em especial no segmento de caminhadas ecológicas, interagindo com os moradores das localidades visitadas e gerando renda para estes, pois, na maioria dos passeios, o grupo utiliza os serviços de alimentação, hospedagem e guias dos povoados.

No meio do caminho o barulhinho do pisar nas folhas, sinais de bichos pelo chão, muito mato, um pouco de barro, alguns cursos de água.  No céu, o sol radiante ou a lua e as estrelas sempre muito inspiradoras. Nas conversas, assunto de todo o tipo, em cada história, um motivo para estar lá. Para além do tamanho do percurso feito, o significado de dar conta dele, de conviver com o céu limpo, ficar livre da hiperconexão dos celulares e da internet, isto sim, é impossível de mensurar.

Cachoeira do Tabuleiro/Conceição Mato Dentro/MG

Outro fator de extrema relevância para o grupo “Caminhada Mineira” é a educação ambiental que tem como objetivo formar a consciência dos cidadãos e transformar-se em filosofia de vida de modo a levar a adoção de comportamentos ambientalmente adequados, deve necessariamente transformar-se em ação. As consequências de nossas ações sobre a natureza são cada vez mais reais é preciso buscar sempre melhorar a relação e construir as bases de uma sociedade mais solidária com a natureza.

Caminhando pela inclusão – O grupo “Caminhada Mineira” possui um grande diferencial e talvez seja um dos grupos pioneiros no cenário brasileiro, ou até mesmo mundial, em promover caminhadas para pessoas com deficiência. Além disso, há um grupo especial voltado para as crianças. Com uma atitude ímpar, Marcelo Pereira ressalta que a inclusão é uma das formas mais eficazes de criar adultos sensíveis e preparados para lidar com essa realidade seja na escola, nas ruas, em casa e até mesmo nas caminhadas.

Mata Grande/Cabeça de Boi – MG

Com a caminhada inclusiva, que acontece desde 2012, com pessoas com deficiência visual, a iniciativa é mostrar que não existe limitação para fazer caminhadas ecológicas. A proposta é levar pessoas com deficiência visual onde os familiares deles não têm coragem de levar e, com isso, eles experimentam sensações como dar um mergulho numa cachoeira, se equilibrar entre cascalhos e pedras soltas, sentir as diferentes texturas das cascas das árvores do cerrado, o cheiro das plantas. Nas caminhadas não existe tratamentos especiais, sem excessos de zelo, como eles almejam que sejam tratados.

Já com as crianças, a trilha é voltada para aquelas que gostam de atividade física, “cultivar” e despertar o gosto pelas caminhadas e proteção da natureza. A caminhada é realizada exclusivamente em função deles, no ritmo, no tempo e com a alegria e espontaneidade da criançada. Em grupo, as crianças saem da rotina do “virtual” e experimentam a sensação de conquistar o alto de uma montanha. Uma criança motiva a outra e a turma enxerga a serra como desafio. Elas vibram com a conquista e, assim como os adultos, elas fazem essa comparação com os desafios do cotidiano.

Os passeios proporcionam também excelentes lugares para os fotógrafos de plantão e os amantes da natureza. O grupo, além de organizar todos os passeios, oferece consultoria de vestimentas, comidas, material utilizado e capacidade física para a prática dos roteiros disponíveis.

Serra da Moeda/MG

As caminhadas são classificadas em verdes (caminhadas leves), amarelas (caminhadas moderadas) e vermelhas (caminhadas difíceis). É informado também a quantidade de quilômetros a serem caminhados, obstáculos de cada trilha e a pessoa identifica em qual perfil de passeio se encaixa, manifesta interesse e participação.

Com mais de duas mil pessoas cadastradas e cerca de cem roteiros diferentes para todas as idades e condicionamentos físicos, o Caminhada Mineira realiza suas atividades nas principais cidades e parques de Minas Gerais, além de roteiros nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Piauí.  Acolher, disciplinar, instruir e, sobretudo, amar. Dias intensos embriagados de alegria pura.

Quer saber mais? Visite o site da Caminhada Mineira e acompanhe as redes sociais:

www.caminhadamineira.com.br

– Facebook: //caminhada.mineira

– Instagram: @caminhadamineira

– Twitter: @caminhadamg

COMPARTILHAR