Alunos do Curro Velho apresentam uma viagem iluminada pelo mundo

    Um espetáculo de luz, que destaca esperança e alegria, será apresentado por mais de 100 crianças que participaram das oficinas de iniciação artística do Curro Velho, núcleo da Fundação Cultural do Pará (FCP). Intitulado “Pesquei um lampião e viajei o mundo”, o espetáculo será encenado na sexta-feira (7) e no sábado (8), a partir das 18 h, no Núcleo de Oficinas Curro Velho, no bairro do Telégrafo, em Belém.

    Segundo a diretora do espetáculo, Adriana Cruz, o ritmo dos ensaios é intenso. “Nesta quinta-feira faremos o ensaio geral para a grande estreia. O trabalho está emocionante. São mais de 100 crianças em cena, na faixa etária de 7 a 14 anos, e que desde setembro ensaiam e participam das oficinas aos finais de semana”, informa a diretora.

    O texto da obra foi escrito pelo professor e músico José Maria Bezerra, abordando a luz em sentidos diferentes. “A luz como elemento físico, uma ideia, inteligência, e a luz como algo mais espiritual, voltada para o estado da humanização”, explica Adriana Cruz. O texto foi o fio condutor para todas as oficinas realizadas no processo da iniciação artística, como música, dança e teatro.

    Para a diretora, a relação com o Curro Velho é uma história de amor. “Eu comecei aqui no Curro Velho em 1994, com o espetáculo ‘Pedro e o Lobo’, que contou com a direção de Olinda Charone. Participar desta construção coletiva é muita coisa misturada. São afetos que se constroem, uma alimentação muito rica, que emociona e alegra este contato diário com as crianças”, ressalta.

    O objetivo do Auto de Natal do Curro Velho é a solidariedade. “Queremos pensar em novas possibilidades, mudar o mundo. Mas mudando aos pedacinhos, levando às crianças a este sentimento de esperança e cidadania”, conclui Adriana Cruz.

    Choro do Pará – Na primeira noite da programação cultural da FCP, no dia 7, a Orquestra Choro do Pará será uma das atrações, com mais de 60 musicistas no palco. Todos participam das oficinas de Música do projeto, que completou 12 anos de existência em 2018.

    Para o regente da Orquestra, maestro Diego Santos, “ver pessoas que nunca ouviram, pessoas que têm bom convívio com o gênero, mas nunca se colocaram para tocar, pessoas novas criando grupo de choro, é gratificante e nos incentiva a estudar mais, para continuar repassando conhecimento e também aprender bastante com eles”.

    O repertório da Orquestra inclui composições de Jacob do Bandolim, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha e outros autores de choro.

    Auto da Lua Crescente – Nos dois dias da programação de final de ano também será apresentado o espetáculo cênico-musical “Cortejos de Folia – ô de casa, ô de fora”, pelo grupo Auto da Lua Crescente. O grupo foi criado nas oficinas de Artes Cênicas realizadas no Curro Velho, e o espetáculo deste ano é uma viagem pelas celebrações natalinas, abordando a Folia de Reis, a Marujada e outras manifestações populares.

    Segundo Ana Marcelino, diretora do espetáculo, a obra é cheia de música, dança, poesia e seres encantados, protagonistas dessa cultura.

    Serviço: Programação de final de ano da Fundação Cultural do Pará nos dias 7 e 8 de dezembro, a partir das 18 h, no Núcleo de Oficinas Curro Velho, na Rua Professor Nelson Ribeiro, nº 28, bairro do Telégrafo. Entrada franca.