Garota é abusada por quatro colegas: dois anos depois, sua mãe faz uma horrível descoberta

60

Nem toda a gente se recorda da adolescência com carinho. Isso porque os jovens e as crianças podem ser muito maus uns com os outros, e infelizmente isso é algo que ainda persiste nos tempos de hoje. No entanto, uma pessoa tem limites para a quantidade de maldade que consegue enfrentar… essa jovem de quem vamos falar em seguida foi abusada por quatro colegas, e tirou a sua própria vida por causa disso.

Facebook – Angel Rehtaeh Parsons

Rehtaeh Parsons tinha apenas 15 anos quando decidiu ir a uma festa com um amigo em 2011. Infelizmente, esse seria o começo de uma série de tragédias que tiveram um terrível fim. Nessa noite, a jovem canadense foi abusada por quatro colegas. E o pior de tudo? Um deles fotografou o abuso, e fez questão de espalhar as imagens por toda a escola.

A jovem não teve coragem de contar à mãe, Leah, o que se havia passado. Mas, depois de alguns dias sendo intimidada e alvo de piadas na escola, ela resolveu contar tudo à progenitora. A mulher levou a filha imediatamente para o hospital, mas ninguém queria ajudar a menina.

Facebook – Angel Rehtaeh Parsons

Nem a própria polícia, que deveria se preocupar com o bem-estar dos cidadãos, quis saber daquele caso. Ninguém questionou os abusadores e não quiseram saber o que se havia passado naquela noite. Um ano depois, eles arquivaram o caso alegando falta de provas, mesmo tendo as fotografias em sua posse.

A partir do dia do abuso, a vida de Rehtaeh se tornou num inferno. Ela era intimidada todos os dias na escola e online. Todos os amigos lhe viraram as costas e, para além da dor emocional do terrível acontecimento, ela não tinha apoio de ninguém sem ser o da família.

Facebook – Angel Rehtaeh Parsons

Depois das imagens circularem na escola, muitos alunos lhe mandavam mensagens para ter relações com ela. Isso ainda a deixava mais em baixo… “Eles nunca a deixaram em paz. Ela teve que deixar a comunidade. Os amigos dela sumiram. Pessoas a assediavam… Não parava,” disse a mãe de Rehtaeh.

A jovem entrou numa espiral de depressão e infelicidade, e a situação ficou tão grave que ela não queria mais estar nesse mundo.

Facebook – Angel Rehtaeh Parsons

Um ano e meio após o ataque, Rehtaeh se enforcou no banheiro de casa. Quando a mãe chegou, era tarde demais… ela ficou com graves lesões cerebrais graves e foi levada para o hospital. Poucos dias depois, os pais desligaram as máquinas, pondo fim ao seu sofrimento.

A polícia nunca investigou o caso, alegando não ter provas. Então, a menina morreu sem ter sido feita justiça, deprimida e sozinha. Nem a escola quis investigar e saber um pouco mais sobre o assunto… os pais dela fizeram tudo o que puderam, mas ninguém os quis ouvir. E os abusadores que a estupraram continuam felizes, vivendo as suas vidas como se nada fosse.

Facebook – Angel Rehtaeh Parsons

Temos que fazer algo para mudar a sociedade. Professores, diretores ou policiais: prestem atenção nos adolescentes, sejam um bom exemplo e façam a diferença. Não deixem que as crianças e jovens sejam vítimas de intimidação e não tenham apoio… porque, muitas vezes, a solidão e a tristeza são piores do que a morte.

Compartilhe se também acha que precisamos de uma lei mais severa para estupradores, sejam eles adultos ou não!

Fonte: Newsner

Facebook

Quer mais histórias? Click »

Compartilhar