Universidades paraenses e o Enem

8
Todas as universidades públicas do Pará utilizam o Enem como parte ou único meio de avaliação nos processos seletivos para os cursos de graduação e isso significa que quem deixar de se inscrever no Exame perde a chance de concorrer a pelo menos 11,3 mil vagas no ensino superior público.
A partir deste ano, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) passa a utilizar o Enem como único critério de avaliação no Processo Seletivo (Prosel). O candidato deve prestar o Enem e também se inscrever no Prosel para concorrer à uma vaga na Uepa. Para 2017, a Instituição ofertou 1.851 vagas, distribuídas em 26 cursos de graduação, nos 20 campi da Uepa. Foram contabilizados 82.559 candidatos inscritos.
A Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) também utiliza a nota do Enem no Processo Seletivo Regular (PSR) como única forma de avaliação. Em 2017, foram aceitas as notas do Enem de 2015 e 2016, considerando o exame de maior nota (redação e áreas temáticas), inclusive para o ingresso pelo sistema de cotas sociais e PcD. Foram ofertadas 1.028 vagas para 30 cursos sediados em Santarém. Além do PSR, a Ufopa também possui outros dois Processos Seletivos Especiais, um para indígenas e outro para quilombolas, que não utilizam a nota do Enem.
Na Universidade Federal do Pará (UFPA) somente no Processo Seletivo (PS 2017) foram ofertadas 7.404 vagas, distribuídas em 170 cursos e 19 cidades do Pará. O PS2017 registrou mais de 110 mil inscritos, um dos maiores números da história da Instituição.
Já a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) adota a nota do Enem como parte do processo seletivo. Em 2017, a Universidade ofertou 1100 vagas para 32 cursos de graduação, distribuídos nas cidades de Marabá, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu e Santana do Araguaia.

Socel News

Compartilhar