Oficina na UFPA ensina a reutilização de garrafas pet


O mundo está cheio de garrafa PET! Após a década de 90, esse material ficou muito famoso pela facilidade de armazenamento. O material é usado para armazenar água e outros líquidos, areia, sólidos e até mesmo petecas.Os fins para as garrafas são diversos, mas que tal ter ideias criativas e sustentáveis para reduzir o lixo e ajudar o meio ambiente? Pensando nisso, o Centro Acadêmico do curso de Pedagogia (CAPE) vai promovernesta quinta-feira, dia 20, uma oficina de confecção de puffscom garrafasPET. A programação faz parte da Semana do Calouro da UFPA eserá aberta ao público.
A oficina de confecção de puffs de garrafas PET ocorrerá a partir das 14 horas, no Hall do Bloco E, Campus Profissional, em Belém. As inscrições são feitas na hora. Para a oficina, foram arrecadadas mais de 100 garrafas que irão se transformar em  puffs destinados a fazer parte do Centro Acadêmico de Pedagogia. Quem quiser participar da ação e ajudar, aprender e criar na hora um novo objeto, basta se inscrever e levar as garrafas. “Quanto mais garrafas tivermos, mais objetos poderão ser produzidos, então fica o convite a cada participante trazer garrafas para a oficina”, disse a coordenadora atual do CAPE, Juliane Leão.
Socialização e conscientização dos calouros – Uma ação de reciclagem como essa é a proposta para trazer aos novos pedagogos um pensamento mais consciente e sustentável para os próximos anos. Juliane Leão explica a importância desse tipo de oficina na semana do calouro: “prezamos, primeiramente, a socialização entre os calouros, porque é um momento inicial de descontração e integração, e segundo, pela importância da reutilização dessas garrafas que agora terão um destino notoriamente interessante. Queremos promover uma educação ambiental entre os calouros e os participantes da oficina” completa.
Afonso Paullo, ministrante da oficina, afirma que “atividades como esta são essenciais para mostrar à população que o lixo ou material descartável ainda pode ser reutilizado de outra forma e compor o meio social em que vivemos. Pode até mesmo gerar renda e evitar o acúmulo de lixo em locais inadequados”.O professor faz parte do projeto “Reviva Tucunduba”, que tem como missão ensinar modos de reutilização e reciclagem do “lixo”, com aulas de educação ambiental. Segundo Afonso, “quanto mais iniciativas deste modo tivermos, principalmente em escolas, melhor será a educação em nosso país”.
Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet), o Brasil depejou no ano passado, mais de 530 mil toneladas de PET. Dessa quantidade, 51%, ou seja, 273 mil toneladas foram recolhidasgraças ao trabalho dos catadores urbanos que ajudaram a dar outro destino aos materiais plásticos. O restante, infelizmente, vira lixo.

Socel News

LEAVE A REPLY