Polícia Civil apreende carne inadequada para consumo em Soure

Foto: Ascom/PC-PA

A Polícia Civil divulgou, nesta terça-feira, 18, informações sobre a apreensão de carne bovina, realizada, ontem, após recebimento de denúncia anônima. Ao todo, foram apreendidos 800 quilos de carne bovina estragada. A carne seria usada na merenda escolar na rede municipal de ensino, em Soure, na Ilha do Marajó. A carne foi encontrada no interior de um caminhão-baú no porto da balsa que faz a travessia do rio Paracauari, entre as cidades de Salvaterra e Soure. Segundo o delegado Rodrigo Amorim, titular da Polícia Civil em Soure, o veículo saiu de Salvaterra com a carga que seria distribuída em escolas de Soure. O caminhão foi abordado no momento em que desceu da balsa. No veículo, estavam o motorista e o dono da carga, Jacy Nunes, 42 anos.

“Dentro do baú, foram encontrados diversos sacos de carne em estado de decomposição. Após solicitação de documentos necessários para transporte do produto, o dono da carga informou que não estava de posse da documentação”, informou o delegado. A Agência de Defesa Agropecuária (Adepará) para averiguar a situação. O proprietário da carne foi conduzido para a Delegacia, para ser autuado em flagrante por receptação e depósito de produto inapropriado para consumo de pessoas. Ele vai permanecer recolhido à disposição da Justiça. Os 800 quilos de carne, detalha o delegado, foram incinerados.

Jacy Nunes venceu uma licitação aberta pelo município de Soure para contratação de distribuidora de carne bovina para a rede municipal de ensino. Em depoimento, ele alegou que a carne era procedente de uma fazenda de sua propriedade, mas não disse o nome da empresa fornecedora.
Destinação – Segundo o delegado Rodrigo Amorim, o produto não apresentava o selo obrigatório de inspeção da Vigilância Sanitária nem autorização da Adepará. A equipe da Agência de Defesa Agropecuária acompanhou todo o trabalho da equipe de policiais civis em Soure. “A médica veterinária do órgão público atestou que a carne estava inapta para consumo”, ressalta.

Socel News

LEAVE A REPLY