Consumidores devem ficar atentos à segurança de seus dados pessoais

4

As pessoas não confiam nas empresas que detêm seus dados pessoais, apesar de atribuírem a elas o encargo de protegê-los. Foi o que constatou uma pesquisa divulgada recentemente pela Gemalto – empresa de segurança digital. Segundo os entrevistados, 70% da responsabilidade de proteger e garantir a segurança dos dados cabe às empresas e apenas 30% da responsabilidade a si mesmos.
Na Algar Tech, multinacional brasileira que oferece soluções de Gestão de Clientes e Gestão de Serviços de TIC, existem diversas frentes para assegurar a proteção dos dados dos clientes das empresas para as quais presta serviços de contact center: uso de ferramentas de segurança da informação de última geração, políticas e procedimentos de segurança, auditorias internas e externas, disseminação dos princípios e diretrizes. As ações são validadas por meio de certificações internacionais.
“Nos últimos anos, trabalhamos fortemente nessa linha de segurança da informação, que deve ser realmente uma preocupação crescente nas empresas, principalmente com o advento da internet das coisas”, afirmou Edilson Braga, CIO da companhia. Segundo ele, o caminho para uma empresa segura passa por processos consistentes e pela conscientização das pessoas. “Não basta ter uma estrutura de segurança se não estiver permeada por toda a corporação a cultura de que cada um deve fazer sua parte”, afirmou.
Regras e procedimentos
A Algar Tech possui seis operações de atendimento no Brasil, Colômbia e México. Cerca de 10 milhões de contatos são realizados por mês, em 7.500 posições de trabalho para relacionamento com o cliente.
Nessas operações, existe um conjunto de proteções lógicas e gestão de incidentes de segurança, amparadas por ferramentas de última geração e procedimentos de avaliação de risco e classificação das informações. Serviços adicionais como monitoramento e gravação de áudio e tela podem ser contratados de acordo com a necessidade dos clientes.
“Nossos associados [como são chamados os colaboradores da empresa], clientes, parceiros, fornecedores, terceiros ou prestadores de serviços são orientados a observar e seguir as políticas e procedimentos, aceitar, assinar e cumprir com o acordo de não divulgação”, explicou Braga.
Dicas para não cair em fraudes
As empresas de contact center devem contar com uma estrutura robusta de segurança da informação. Porém, os consumidores devem ter sua parcela de responsabilidade ao proteger seus dados. A Algar Tech aponta algumas dicas para não cair em fraudes.
1- Fique atento às perguntas feitas pelo atendimento
Profissionais que trabalham no atendimento estão treinados para identificar o cliente. Existe um conjunto de validação dos dados da outra ponta, que incluem nome completo, endereço, data de nascimento. Quando se trata de empresas de cartão de crédito, o nível de proteção aumenta. Mas em nenhum momento estão orientados a pedir a senha do cartão, código de segurança ou qualquer outra informação de conhecimento exclusivo do cliente. Outra dica é fazer somente a confirmação parcial dos dados, somente complementando ou confirmando as informações que o atendente passar.
2- Reflita: eu realmente sou cliente dessa empresa?
Você recebe uma ligação e o profissional se identifica como atendente de determinada empresa. Pare e pense: você possui algum serviço com a prestadora mencionada? Se a resposta for negativa, desconfie. Há indícios de que se trata de uma tentativa induzi-lo a passar seus dados.
3- Atenção redobrada em cadastros e compras pela internet
Uma tentativa comum de fraude na internet é o redirecionamento da página no momento de preencher os formulários ou finalizar a compra. Antes de digitar dados pessoais e o número dos documentos, verifique se o endereço é o mesmo e se inicia com ‘https’ (que comprova que você está em ambiente seguro). Só informe dados que forem estritamente necessários. Além disso, acesse somente sites confiáveis, principalmente quando for comprar pela internet.
4- Use senhas fortes e pessoais
Suas senhas NÃO devem ser divulgadas ou compartilhadas com ninguém. Além disso, crie senhas fortes. Pesquisas indicam que mais de 90% de senhas geradas pelos usuários estão vulneráveis a ataques. Não consegue pensar em uma palavra forte? Forme frases. É importante, também, mudar as senhas periodicamente (a cada 45/60 dias).

Socel News

Compartilhar