Realidade Virtual é usada como ferramenta na prevenção de violência contra mulher



Fazer com que a sociedade conheça as diversas violências sofridas pelas mulheres todos os dias, vivenciando na pele essa realidade, é o desafio de uma ação promovida pelo Governo do Pará através da Fundação Pro Paz neste sábado no Parque Shopping. Para isso, psicólogas e assistentes sociais do Pro Paz Integrado Mulher, munidas de um vídeo, que será exibido em óculos que proporciona realidade virtual, levarão até o shopping orientação para a sociedade sobre violência contra mulher. O vídeo permitirá que, quem o assista, veja o mundo sobre o olhar de uma mulher que sofre diferentes situações de violência em um único dia. O objetivo é fazer com que os homens troquem de lugar com as mulheres, entendendo os prejuízos do machismo e de tais violências para a sociedade. A ação acontece neste sábado (25) a partir das 17h no Parque Shopping dentro do “Espaço Criança” que fica na Praça de Alimentação.
A ação se repetirá ainda no domingo às 14h, no estacionamento do Mangueirão, desta vez, aproveitando o público que comparecerá ao jogo do Remo contra o Paynsandu pelo Campeonato Paraense. A ação é parte da campanha integrada “Respeito às Mulheres em suas Diversidades”, a coordenada pela Sejudh, Pro Paz, Segup e Secom, lancada no início de março e que pretende incitar à reflexão sobre as diversas formas de violência cometidas contra as mulheres. Ao longo do mês de março, todos os órgãos de governo trabalharam as ações da campanha, promovendo ações educativas e utilizando banners, cartazes e vídeos que nos ambientes físicos e virtuais, além de spots de rádio e vídeos para TV e internet.
Dados – Em 2016, 6.270 mulheres em situação de violência  foram atendidas nas sete unidades Pro Paz Integrado em todo estado. Em 2015, foram 4.948, o que significa que, em 2016, a procura aumentou em 26,7%, não só pelo aumento das violências ocorridas, mas por mais mulheres buscarem ajuda em casos de violência.
A maioria dos atendimentos nas unidades do PPI no Pará é de violência psicológica (36,1%), seguido de violência física no ambiente doméstico e violência moral. O marido é o principal agressor, 21,3%, seguido de ex-companheiro, 19,9% e ex-marido, 19,5%. A maioria dos casos de violência acontece dentro de casa (71,4% dos casos).

Socel News

LEAVE A REPLY