Empresas de Barcarena dão exemplo de uso sustentável dos recursos hídricos

6
 

Foto de Rafael Araújo 

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), em 2030, a população mundial necessitará de 40% a mais de água. Diante desse cenário, a interagência da organização, a ONU Água, desde 2016 definiu temáticas específicas para nortear os debates sobre a preservação dos recursos hídricos no Dia Mundial da Água, celebrado nesta quarta-feira (22). Este ano, a entidade traz como tema Água Residual, chamando atenção para a reutilização do recurso em processos industriais, por exemplo.
No Pará existem bons exemplos no setor industrial de reaproveitamento do bem mais precioso para a humanidade. Entre eles, a Imerys, mineradora que atua com caulim nos municípios de Barcarena e Ipixuna do Pará, que incorporou a utilização da água da chuva em sua produção industrial. “A empresa possui bacias de rejeitos fora de operação e que recebem água da chuva. Uma delas está coberta por uma manta de PEAD (Polietileno de Alta Densidade), ou seja, a água que cai nesta bacia não se mistura com caulim, ficando limpa e transparente. Assim, pensamos em dar a essa água uma destinação vantajosa para a empresa e para meio ambiente”, explica Paulo Wanderley, gerente de Manutenção da Imerys.
Na prática como funciona: a água é bombeada para a Estação de Tratamento de Água (ETA) da Imerys e, em seguida, reutilizada no processo. Ao fazer isso, a empresa pode interromper a captação de um dos seus poços profundos, reduzindo o consumo de água do lençol freático. Já houve momentos, inclusive, em que a empresa deixou de captar água de todos os poços, contabilizando aproximadamente 57.600 metros cúbicos de água aproveitada no processo.
A Imerys também faz a captação da água das chuvas por um sistema de calhas em um dos prédios da planta de beneficiamento, em Barcarena. “Esse sistema facilitou a gestão integrada das águas superficiais e subterrâneas, melhorou a disponibilidade de água potável e reduziu o consumo de insumos para o tratamento de água”, destaca Paulo Wanderley.
Circuito permite aproveitar 90% da água
Ainda em Barcarena, a Alubar Metais e Cabos, fabricante de vergalhões e cabos elétricos de alumínio e de cobre, desenvolve um amplo monitoramento ambiental. Entre as atividades desenvolvidas pelo Programa de Gerenciamento Ambiental da empresa, está a verificação da qualidade da água utilizada na fábrica depois de tratada na Estação de Tratamento de Efluentes, antes da mesma ser devolvida à rede sanitária de Barcarena.
“O cuidado da equipe técnica é de devolver uma água limpa para população, com o P.h neutro, isento de coliformes fecais e bactérias e também de óleos e graxos, que vem do processo industrial”, ressalta Raimundo Nonato, gerente de Controle da Qualidade e Meio Ambiente da Alubar.
Segundo o gerente o uso consciente da água é visto pela empresa como um recurso renovável de extrema importância no processo. Ao trabalhar com o circuito fechado de água, a fábrica consegue reaproveitar 90% dentro do processo fabril.
“Ao final de todo o processo, este monitoramento contribui para que os vergalhões e cabos elétricos de alumínio e de cobre sejam feitos de acordo com a legislação ambiental, chegando aos clientes sem agredir as comunidades e a fauna e flora onde a fábrica está inserida”, frisa Raimundo Nonato.

Socel News

Compartilhar