Ações de prevenção à febre amarela na região oeste do Pará

75

A respeito do macaco encontrado morto na zona rural do município de Rurópolis, no oeste do Pará, a Secretaria de Estado de Saúde Pública revelou que já recebeu o resultado do exame realizado pelo Instituto Evandro Chagas (IEV), que apontou positivo para febre amarela e adianta que todas as medidas já estão sendo tomadas desde o início das ações no local, inclusive com vacinação da população que reside às proximidades de onde foi encontrado o animal. A investigação, segundo a Sespa, foi iniciada por meio de uma ação conjunta entre a Diretoria de Vigilância em Saúde do Estado, Centro Nacional de Primatas do Instituto Evandro Chagas (IEC) e as Secretarias de Saúde dos municípios de Rurópolis e Itaitubuda, onde também há relatos de casos. 

A secretaria reforça que as equipes continuam em campo investigando e orientando a população sobre as formas de prevenção da febre amarela. Entre as ações estão: verificação no local sobre as informações de morte de Primatas Não Humanos (PNH) para determinar se existem mais animais mortos; levantamento do histórico e bloqueio vacinal dos moradores de áreas próximas e a busca ativa de casos humanos suspeitos de febre amarela; intensificação da vigilância de casos humanos de sintomatologia compatível com febre amarela; sensibilização dos profissionais para a importância da notificação imediata de qualquer evento suspeito (humanos ou epizootias); montagem de plataforma na copa das árvores para captura ao mosquito; realização de visitas nas residências, entre outras. Será feito um Plano de Contingência específico para a região do oeste e Baixo Tocantins, além da intensificação da vacinação nas localidades rurais e de mata, que são áreas com recomendação da vacina contra febre amarela, visto que a transmissão é tida como possível na maioria das regiões rurais do Brasil. 

Somente no ano passado, 71.195 pessoas foram vacinadas no Pará contra a doença. Em 2015, o quantitativo foi de 80.230 imunizados, o que equivale uma cobertura vacinal considerada excelente. No Pará foram confirmados 16 casos de febre amarela em 2015 e nove registros da doença em 2016. Neste ano, não há nenhum registro da doença confirmado no Pará.

Socel News

Compartilhar