Ministério do Turismo apoiará campanha de divulgação da Amazônia

4
O búfalo representa a principal fonte das diversas atividades econômicas do município de Soure, inclusive para trabalhos de tração, em fazendas – Foto Thiago Gomes – Agência Pará
O Ministério do Turismo já autorizou a criação de um grupo de trabalho que vai reunir as secretarias de Comunicação e de Turismo dos estados da Amazônia para elaborar e realizar, ainda este ano, uma ampla campanha de divulgação nacional e internacional que projete o potencial turístico da região. A definição partiu do próprio ministro Marx Beltrão, durante audiência com representantes do Fórum Permanente de Comunicação Pública Governamental da Amazônia, grupo que reúne as Secretarias de Comunicação da Amazônia Legal.
O encontro foi articulado pelo senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e contou com a presença dos secretários de Comunicação do Pará, Daniel Nardin, do Acre, Andréa Zílio, de Roraima, Gustavo Abreu e do secretário de Assuntos Estratégicos do Mato Grosso, Jean Campos.
Na reunião, os secretários apresentaram a proposta do Fórum, criado durante o último Encontro de Governadores, e a iniciativa de desenvolver ações de comunicação em conjunto, de forma integrada, entre os Estados da Amazônia. “A ideia por si só tem muito valor e somente unindo esforços poderemos realizar algo maior”, elogiou o ministro Marx Beltrão.
O senador Flexa Ribeiro destacou a importância da integração de ações para divulgar a Amazônia. “Todos nós, amazônidas, sabemos o quanto é necessário mudar a visão que se tem da região. E nesse sentido a integração entre as secretarias de Comunicação é extremamente valiosa. Esse trabalho será feito em conjunto com vários setores, com o intuito de unir forças, e um deles são as secretarias de Turismo”, destacou Flexa Ribeiro.
O secretário de Comunicação do Pará, Daniel Nardin, comentou que entre as primeiras ações do grupo estava justamente a solicitação para realização de uma ampla campanha de divulgação da Amazônia, assim como vem sendo feito com a região Nordeste neste verão. “Reconhecemos a iniciativa que vem sendo feita em todas as mídias, em especial na online, nas redes sociais. Certamente uma ação ampla do Ministério do Turismo neste sentido, projetando inclusive o verão amazônico, que inicia em julho, pode ser algo fundamental para alavancar o turismo em toda região. Esta é uma solicitação que sempre é feita pelas secretarias de Turismo, em especial pelo secretário Adenauer Goes, mas que agora tem o reforço das áreas de comunicação, que podem colaborar e muito nesse sentido”, afirmou Nardin.
A proposta de trabalho integrado não só é estratégica, como fundamental para fortalecer o trabalho de comunicação dos estados, aponta a secretária de Comunicação do Acre, Andréa Zílio. “As secretarias de Comunicação não podem ter sua atuação resumida apenas ao trabalho de divulgar ações e programas institucionais. É importante desenvolvermos políticas públicas que fortaleçam as ações de cada estado, e estamos conseguindo ter dos governadores o entendimento de que isso é fundamental para os passos que pretendemos dar. A conquista de uma campanha para a Amazônia é fundamental para promover mais e melhor essa parte do país, que é tão rica e carrega um dos nomes mais conhecidos do mundo”, comentou.
“Precisamos mostrar ao Brasil e ao mundo a diversidade da Amazônia”, defendeu Gustavo Abreu, secretário de Comunicação de Roraima. “Temos o desafio de integrar e mostrar as diversas ‘amazônias’ que existem. Somente em Roraima há cinco biomas amazônicos. Vamos mostrar, de forma integrada, a diversidade e a beleza das paisagens naturais da região, os sabores, os conhecimentos tradicionais dos nossos povos”, ressaltou.
O ministro Marx Beltrão levantou alguns números que indicam o quanto o aporte financeiro para campanhas de divulgação geram renda e impactam positivamente a economia local. “No final do ano passado foram investidos cerca de R$ 15 milhões para promover o turismo no Nordeste. E já temos números que comprovam o resultado positivo, com incremento acima de 12% no fluxo de turistas, o que resultou em um aporte de cerca de três bilhões de reais na economia da região. Ou seja, é um investimento que tem retorno imediato e que vamos realizar também na Amazônia”, disse Beltrão.
União de esforços
Hoje, dos nove estados participantes do Fórum de Governadores da Amazônia, oito estão associados à Força-tarefa de Governadores pelo Clima e Florestas (GCF) e um está como observador. Com a intenção de seguir a mesma estratégia de trabalhar em conjunto, assim como os gestores que integram o Fórum de Governadores da Amazônia, os secretários de Comunicação também se uniram para atuar na elaboração de ações estratégicas para a região, após o recente encontro realizado no Amapá.

O grupo de secretários pretende desenvolver, a partir de agora, diversas ações integradas que potencializem o Fórum e a Força-tarefa de Governadores para o Clima (GCF), por entender que essas duas frentes são fundamentais para a articulação desses estados no cenário nacional e internacional.

Socel News

Compartilhar