População é orientada a pedir identificação dos Agentes de Controle de Endemias

89
Equipe de Endemias da Sesma ( Uniforme roubado citado na materia ) FOTO: Adriano Magalhães-Ag. Belém
Diariamente, cerca de 800 Agentes de Controle de Endemias da Prefeitura de Belém realizam visitas domiciliares em todos os distritos da cidade, com o objetivo de identificar e eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. É importante que a população exija a identificação destes agentes, cuja atuação é fundamental para diminuir a ocorrência das doenças causadas pelo mosquito
Há dois tipos de Agentes de Controle de Endemias: os de uniforme bege, que realizam as visitas diariamente e um outro grupo de 24 agentes que fazem visitas previamente agendadas, que usam macacões verdes. Os primeiros são profissionais qualificados para identificar e eliminar possíveis focos; identificar casos suspeitos e, principalmente, orientar a população a evitar a proliferação do mosquito. Já o segundo grupo realiza a aplicação de inseticidas por meio do fumacê e visitas domiciliares informadas ao morador um dia antes de ocorrerem. Estes entram em ação quando é identificado um caso de dengue, chikungunya ou zika em uma determinada área.
“A distinção e identificação destes servidores são importantes. Todo os agentes andam devidamente uniformizados e com o crachá. Então, orientamos as pessoas a pedirem a identificação do servidor, e se quiserem confirmar se aquela pessoa trabalha naquela atividade podem entrar em contato com a gente”, enfatiza o coordenador da Divisão de Controle de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde, David Rosário.
 A PMB faz este alerta devido ao ocorrido na madrugada da última segunda-feira, 19, quando 16 uniformes (macacões verdes) de Agentes de Controle de Endemias foram furtados. A Sesma já registrou ocorrência do furto e disponibiliza à população o telefone do Disque Endemias (3344-2466) para esclarecimentos acerca da autenticidade da identificação dos servidores da secretaria.
O coordenador do programa de Dengue, Zika e Chikungunya do Distrito Dabel, Luiz Antônio Monteiro, esclarece que os agentes estão informando a população sobre como distinguir os servidores. “O que mais está sendo enfatizado por eles é que os uniformes roubados foram dos agentes que realizam visitas agendadas e não os que fazem as visitas frequentes”, detalhou. “Sempre que possível, mantemos a mesma equipe nas mesmas regiões para que o morador já conheça e confie no servidor que entra em sua residência”, completou.

Socel News

Compartilhar