Trabalho escravo é tema de formação de professores da rede estadual de ensino

7
 

Crianças de 11 a 16 anos são submetidas a trabalhos forçados – Foto Vermelho.org.br

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realizará, por meio do Centro de Formação de Profissionais da Educação Básica do estado do Pará (Cefor), em parceria com a ONG Repórter Brasil, Ministério do Trabalho, Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Secretaria Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais (SEIPS), uma formação sobre o tema “Escravo, nem pensar” destinada a professores da rede estadual de ensino. A formação acontecerá no período de 25 a 27 de outubro, de 8 as 18h, no auditório da Escola de Ensino Técnico Magalhães Barata, localizada na TV Municipalidade, entre Djalma Dutra e José Pio.
A Repórter Brasil foi fundada em 2001 por jornalistas, cientistas sociais e educadores com o objetivo de fomentar a reflexão e ação sobre a violação aos direitos fundamentais dos povos e trabalhadores no Brasil. Devido ao seu trabalho, tornou-se uma das mais importantes fontes de informação sobre trabalho escravo no país. Suas reportagens, investigações jornalísticas, pesquisas e metodologias educacionais têm sido usadas por lideranças do poder público, do setor empresarial e da sociedade civil como instrumentos para combater a escravidão contemporânea, um problema que afeta milhares de pessoas.
A ONG tem como missão identificar e tornar públicas situações que ferem direitos trabalhistas e causam danos socioambientais no Brasil visando à mobilização de lideranças sociais, políticas e econômicas para a construção de uma sociedade de respeito aos direitos humanos, mais justa, igualitária e democrática.

Nos três dias de formação serão abordados os seguintes assuntos: migração, aliciamento e trabalho escravo; ação da sociedade civil sobre o combate ao trabalho escravo; ação do Estado; trabalho infantil; tráfico de pessoas; ação do estado e da sociedade civil; abordagem de experiências escolares; abordagem de experiências escolares, entre outros.

Socel News

Compartilhar