Soldado se declara para tenente do Exército e leva mais do que um toco

453
Uma história de amor mobiliza a internet brasileira. Tudo teria acontecido dentro de um quartel do Exército Brasileiro. O enredo parece o de um filme: um soldado apaixonado teria se declarado para uma tenente no meio do expediente. Em um rompante de amor, fez uma declaração com balões de coração e música do Roberto Carlos. Ela, porém, não teria gostado e aberto um processo disciplinar contra o subordinado romântico.
O caso tem intrigado as pessoas. Um documento – supostamente o do processo aberto pela tenente contra o apaixonado indiscreto – já viralizou nas redes sociais. Nele, a oficial explicaria como tudo aconteceu: dentro do quartel, na frente de todos, o soldado cantou “Como é grande o meu amor por você”, de Roberto Carlos. Ele estaria segurando um balão em formato de coração. Incomodada, a tenente teria pedido que ele interrompesse a demonstração de afeto. O militar apaixonado, não contente, teria se ajoelhado e dito que o “amor dele está acima de qualquer ordem”.

O fato teria sido registrado em 23 de setembro. Junto da denúncia, estaria a justificativa do militar. Ele admite ter se excedido nas demonstrações, mas argumenta que pensa na tenente “o tempo todo”, “viaja nos pensamentos ao sentir o perfume dela”. E sentencia: “meu amor (por ela) supera tudo”. 

Reprodução

Apesar de atrapalhado, o caso de amor sensibilizou internautas e a reportagem do Metrópoles, que foi conferir se a história era verdadeira ou não. A primeira constatação é: a bela tenente mostrada na foto que circulou nas redes sociais existe. Camila (foto principal) trabalha no Centro Integrado de Guerra na Selva (CIGS). O CIGS fica em Manaus (AM).

Mas o documento, supostamente oficial, levanta as incoerências. Tem erro de grafia, não identifica o quartel, mas o localiza em São Paulo. Bem distante da capital amazonense, não é mesmo?

O Exército Brasileiro, oficialmente, disse que não poderia responder a história ainda nesta quarta-feira (5/10). Os Comandos da Amazônia e de São Paulo não responderam à solicitação do Metrópoles para confirmar se os documentos e a história eram reais.

Nas redes sociais, muitas pessoas duvidaram, contestaram e, claro, zoaram a história:

A gente ainda não sabe se a história toda é verdade, mas, temos que concordar, a criatividade dos brasileiros merece que isso tudo tenha de fato acontecido. Afinal, a “zueira” nunca acaba. E o amor, mesmo atrapalhado, é lindo.
Via Metropoles

Brasil Universo Digital

Compartilhar