Ensaio geral da ópera ‘Turandot, no Festival de Ópera do Theatro da Paz

54

O tenor paulista Richard Bauer interpreta o Príncipe Calaf – Foto Márcio Ferreira/AG.Pará

Nesta segunda-feira (19), às 20h, ocorre o ensaio geral da ópera “Turandot”, de Giacomo Puccini, dentro da programação do XV Festival de òpera do Theatro da Paz. É o momento para que fotógrafos, repórteres, equipes de televisão e rádio façam as suas reportagens e imagens para preparar o público para estreia do espetáculo, que será na quarta-feira (21). A princesa chinesa Turandot é interpretada pela renomada soprano Eliane Coelho, que já atuou nesse papel em montagens, como por exemplo, em Berlim, na Alemanha. O imperador Altoum, pai de Turandot, está a cargo do tenor paulista Mauro Wrona. Já o príncipe Calaf é defendido pelo tenor paulista Richard Bauer.

A escrava Liú, na montagem deste ano, será interpretada pelas sopranos paraenses Luciana Tavares e Kézia Andrade. No elenco de cantores paraenses estão ainda o baixo barítono Andrey Mira, e o barítono Idaías Souto, que se revezam no papel de um mandarim. As sopranos Lanna Bastos e Juliane Lins serão as damas de companhia de Turandot.
O Coro Lírico do Festival de Ópera terá 60 integrantes, que são regidos por Vanildo Monteiro. Os ensaios começaram desde julho. A ópera também tem Coro Infantil, e as crianças são do projeto Vale Música, preparadas pela soprano brasiliense, radicada em Belém, Lyz Nardoto.
O figurino é do colombiano Adán Martinez, que o confeccionou, junto com sua equipe, na Colômbia. As peças foram ajustadas pelo figurinista Hélio Alvarez e sua equipe. São 116 figurinos e alguns deles têm várias peças que serão trocadas durante a apresentação. A equipe de visagismo de André Ramos também recebeu reforço para dar conta de cabelos e maquiagens de cerca de 90 pessoas, entre solistas, Coro Cênico, Coro Infantil e figurantes.
A direção cênica é do paulista Caetano Vilela, em seu quinto ano trabalhando no Festival de Ópera. Vilela assinará também a luz do espetáculo, auxiliado por Fernando Azambuja. O cenário é assinado pelo cenógrafo paulista Roni Hirsch.

A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) tem o reforço de músicos que vieram da Orquestra Sinfônica Altino Pimenta (OSAP) e Orquestra Jovem Vale Música (OJVM) e músicos convidados. Todos sob a regência de Miguel Campos Neto, num grupo de cerca de 90 musicistas.

Socel News

Compartilhar